ALETE KORTE
O CAMINHO PARA A SUA SAÚDE MENTAL
Home

Por que fazer psicoterapia?

 

O homem através de sua história, sempre buscou recursos para entender melhor alguns dos seus comportamentos que sempre lhe causam angústia e sofrimentos.

A Psicologia, enquanto ciência do comportamento, entende que o homem é dotado de uma estrutura de emoções, sentimentos, medos, fantasias, dúvidas, formas de pensar, agir e reagir, que compõem o seu psiquismo.

A Psicoterapia é um tipo de tratamento que atende tanto às pessoas que buscam um melhor conhecimento de si mesmas, como também àquelas que, do ponto de vista psiquiátrico, encontram-se doentes. Em linhas gerais, psicoterapia é um processo de auto-conhecimento aprofundado, que tem a finalidade de ajudar o indivíduo a lidar melhor com suas questões emocionais mais conflituosas. A intenção básica do trabalho é a de propiciar à pessoa uma reorganização do seu mundo interior, de forma a sentir-se mais integrada emocionalmente e com mais poder de ação sobre o mundo que a cerca.

Partindo-se do pressuposto de que tudo que se torna conhecido para a pessoa a seu próprio respeito, torna-se menos assustador e menos ameaçador, a psicoterapia ajuda a pessoa trilhar um caminho individual de auto-conhecimento com mais facilidade.

 

Quem faz psicoterapia é louco?

 

Procurar ajuda terapêutica é sempre uma prova de lucidez. É uma mostra de coragem, um momento de humildade. É maturidade, é determinação, é assumir a vida e os seus problemas. É a busca da felicidade e da construção, pelas próprias mãos, do caminho da possibilidade de ser feliz.

Como regra geral, quanto mais grave é a doença mental, menos consciência a pessoa tem de sua existência. Portanto, se você já admitiu a possibilidade  de buscar ajuda de um terapeuta, o caminho da cura já está aberto e o grau de reconhecimento que você tem de suas dificuldades em ser feliz na vida são prova incontestável de que você não é  “louco”. Já houve coragem de ao menos admitir a existência de problemas insolúveis para você, já houve lucidez para você pensar no assunto, já houve vida suficiente para levá-lo a mais vida ainda.

 

Queixas mais frequentes que levam a procura de pscicoterapia:

 

Ajuda para superar frustrações, sensação de abandono, luto, relacionamento amoroso inadequado, carreira profissional, auto-estima abalada, crise de identidade, depressão, pânico, ansiedade, fobias, etc. 

   

O que muda com a psicoterapia?

 

A psicoterapia cria adequação social do individuo e o habilita a utilizar seus recursos pessoais de forma a que se sinta satisfeito, podendo lidar melhor com a realidade externa. O indivíduo tem uma melhora na qualidade de vida, aumento na capacidade de tolerância frente às frustrações e autonomia em suas decisões. Para que tudo isso ocorra é necessário que a pessoa que busca ajuda queira ser ajudada. Algumas pessoas apresentam modificações claramente perceptíveis em prazo de tempo muito curto, outras parecem não se modificar, sendo a mudança só perceptível ao observador mais experiente.

 

O que direi aos outros quando me pergutarem por que faço psicoterapia?

 

É um problema vivido por muitos, ter vergonha de admitir a necessidade de ajuda. Resultado da nossa cultura de competição onde não se compartilha os problemas. Não é necessário dizer a ninguém se isso incomoda, isto não é covardia ou falta de maturidade; pode ser apenas uma atitude que poupe você dos problemas decorrentes da não-aceitação, pelos outros, desta decisão. Se for necessário, deve ser dito claramente. Isto não é condenável! Ao contrário, é decisão própria de quem assumiu seus problemas e esta buscando na terapia a solução para os mesmos.

 

Tipos de psicoterapias:

 

Existem vários tipos, formas e técnicas diferenciadas. Os principais tipos são: psicoterapia individual, de grupo, de casal, de família e intervenção institucional.

 

Tempo do tratamento:

 

Não é possível determinar exatamente, pois depende do caso, da técnica utilizada, do objetivo da terapia. A Psicoterapia Breve trabalha com prazos determinados, porque focaliza o objetivo. Podendo obter resultados em períodos de 3 meses a 12 meses. Lembrando que o tempo depende da motivação para mudança do paciente. Com a abordagem do EMDR e do Brainspotting esse tempo é abreviado, sendo possível resolver algumas questões em uma única sessão. A maioria dos casos pode-se ter um bom resultado com 8 até 10 sessões. As sessões podem ser semanais ou quinzenal.

 

Alete Korte –  CRP 06/29.935

Psicóloga clínica – Especialização em Psicoterapia Breve e EMDR - Dessensibilização e Reprocessamento por meio de movimentos oculares.
Fone: (11) 99307-9818 – aletekorte@hotmail.com

Home
E.M.D.R.
Profissional
Links favoritos
Entre em Contato
All Rights Reserved.